domingo, 20 de setembro de 2009

simples assim (1.1)

"AWEN" é a força mental para estimular a criatividade.

(tradição celta, autor desconhecido)


14

é isso, não preciso de mais nada

a rima é minha arma, mesmo embainhada

nunca fiz um soneto, pois não sou poeta

ou sou, proclamo?

*

um ser bem profano

nem parnasiano

civil ou miliciano

tô longe de ser atleta

*

mas papai, quando eu crescer

quero renascer

rimador

repentista ou eme-cee amador

*

mas, não dá mais, desiste, vai?

quem disse?

eu quero muito mais

será que sou capaz?

há verdade é tudo pela paz

sou incapaz, posso parecer covarde?

*

assim conquisto a liberdade

que o perdão traduza bonança

e este escrito simbolize

todas as lâminas

o destino final

*

a síntese

para passar

das trevas ao pó

não é a guerra brutal ou violência

*

é, foi, e será uma só: esperança!

*

para então desaguar meu corpo flácido

nas águas plácidas da temperança

(rodrigo cruz)


"Em uma Escola iniciática, a música, e principalmente o canto, tem um grande
papel a desempenhar.

Como, no canto, nós mesmos somos o instrumento que
produz os sons, o fato de cantar tem sobre nós – sobre o nosso corpo físico e nos nossos corpos sutis – efeitos muito poderosos.

Através do canto, emitimos ondas, correntes de força que criam formas em nós.
Por isso é tão importante encontrar a função mística do canto, concentrando toda a sua atenção não só na melodia, mas também nas palavras;
e, sobretudo, é preciso saber escolher o que se canta.

A palavra é criadora de mundos, e esses mundos são capazes de se manterem
vivos por muito tempo.

Não se pode saber até quando durarão os efeitos de uma palavra.

Não se deve subestimar os efeitos da música, e principalmente
do canto."
(Omraam Mikhaël Aïvanhov)

exercitando o perdão e a paciência, desejo a todos um bom domingo!


sexta-feira, 18 de setembro de 2009

"a todos, homens e mulheres"

um salve a todos os seres pensantes!

um pequeno lembrete:
(sobre o qual muitos sabem, outros imaginam, alguns poucos desconfiam)

"posso declarar, sem sombra de dúvida, que em todos os seres humanos, sem exceção ou distinção de gênero, etnia, cor, cultura ou nacionalidade, dorme uma estrela"

a frase é minha, mas tem uma relação profunda com opiniões/definições estabelecidas por diferentes autores.

alguém se habilita a dizer quais seriam?

para complementar, teremos dois poemas curtos, seguidos de uma oração obtida graças a uma nova amiga (os créditos virão, é questão de tempo) para iniciar a sexta-feira numa relax, numa tranquila, numa boa... muita paz e luz a todos!

I- ?multiplique dúvidas?

concorda?
discordo
mesmo sem corda
você acaba armando uma arapuca
para se enforcar
*
minha mente rateia
reateia
a teia
permeia
*
desafeta
deforma
forma
uma cratera
sincera
desferindo urros
e murros
*
nessa esfera
espero estar vivo
depois de tantos desafios
mesmo por tanto
tão pouco me é dado
ao menos nada mais me é negado



II - destino ou desatino?

foi-se a foice
em golpes lentos e fatais
os fálicos fatos fatídicos
fatalmente
indicam como
as pudicas musas
confusas
nuas
vestais
as tais
praticamente
nada
têm de santas


III - A oração:

Que jamais, em tempo algum, o teu coração acalente ódio.
Que o canto da maturidade jamais asfixie a tua criança interior.
Que o teu sorriso seja sempre verdadeiro.
Que as perdas do teu caminho sejam sempre encaradas como lições de vida.
Que a música seja tua companheira de momentos secretos contigo mesmo.
Que os teus momentos de amor contenham a magia de tua alma eterna em cada beijo.
Que os teus olhos sejam dois sóis olhando a luz da vida em cada amanhecer.
Que cada dia seja um novo recomeço, onde tua alma dance na luz.
Que em cada passo teu fiquem marcas luminosas de tua passagem em cada coração.
Que em cada amigo o teu coração faça festa, que celebre o canto da amizade profunda que liga as almas afins.
Que em teus momentos de solidão e cansaço, esteja sempre presente em teu coração a lembrança de que tudo passa e se transforma, quando a alma é grande e generosa.
Que o teu coração voe contente nas asas da espiritualidade consciente, para que tu percebas a ternura invisível, tocando o centro do teu ser eterno.
Que um suave acalanto te acompanhe, na terra ou no espaço, e por onde quer que o imanente invisível leve o teu viver.
Que o teu coração sinta a presença secreta do inefável!
Que os teus pensamentos e os teus amores, o teu viver e atua passagem pela vida, sejam sempre abençoados por aquele amor que ama sem nome.
Aquele amor que não se explica, só se sente.
Que esse amor seja o teu acalanto secreto, viajando eternamente no centro do teu ser.
Que este amor transforme os teus dramas em luz, a tua tristeza em celebração, e os teus passos cansados em alegres passos de dança renovadora.
Que jamais, em tempo algum, tu esqueças da Presença que está em ti e em todos os seres.
Que o teu viver seja pleno de Paz e Luz!





segunda-feira, 7 de setembro de 2009

dupla dose de delírios

olá, frequentadores deste modesto espaço.

espero que todos estejam bem e tenham muito mais para celebrar daqui p/ frente
como é de conhecimento de alguns, minha agenda vem sendo preenchida com inúmeras atividades, o que restringe o meu tempo hábil para criar, pesquisar e manter este blog atualizado como deveria e gostaria.

assim sendo, peço a todos que não deixem de acompanhar as novidades e continuem prestigiando este espaço, mesmo que demore um pouco mais para que surjam novas postagens.
após esta explicação, vamos ao que realmente importa, sem mais embromações:

AGONIA

"Agonizo se tento
Retomar a origem das coisas
Sinto-me dentro delas, e fujo
Salto para o meio da vida!

Como uma navalha no ar
Que se espeta no chão

Não posso ficar colado
À natureza, como uma estampa!
Nem representar- me no desenho que dela faço
Não posso!

Em mim nada está como é
Tudo é um tremendo esforço de ser"

João Apolinário





falha a razão, fala a poesia
através de gardênias ou gardenais
a cura vem logo mais

não há nada mais capaz
de me entreter ou manter preso
às ilusões coesas

está nascendo
num novo mundo
emergindo do caos
mais profundo
um novo líder
da verdade profana
que arde
queima no fundo
e aniquila a maldade

por onde virá a revolução?
(la revolucion)
ou revolusom?

não da parte dos poderosos
eméritos seres duvidosos
mas há de vir sim
direto dos pés dos esfarrapados,
pelas vozes dos loucos embriagados
dos delírios de pensadores maculados
e das mãos de artistas viciados

o peso do corpo morto
não sobrepuja a pujança da alma
com calma a recompensa
compensa
com tamanho esforço
me contorço
sem contorcer
acabo distorcendo
o todo e tudo
contudo
o resultado esperado
é incomensurável
inacreditável
tudo é possível

basta ver mais do que crer
chega de tamanha pasmaceira ou tanta fraqueza
é hora de acordar, a verdade enxergar

espero que não tarde
nunca é tarde para o fim
um novo ciclo, novos olhares
para pares coerentes, discursos divergentes
ou imponentes posturas descontentes

daqueles que se tolamente se agarram ao vento
fruto amargo de tantas certezas absolutas
resumo resultante de todos os postulados de imbecis convictos
pretensiosos, exultantes, pródigos em conquistas vãs
desde sempre nos teatros da vida invictos

porém derrotados no desempenho eficaz dos papéis
fiéis títeres especializados na mera reprodução
plenamente apegados ao papel de gado
sorridentes, felizes, encorpados, prontos para o abate

penso nisso e logo a certeza me bate
espanca, colérica, outros nobres sentimentos
sussurrando ao pé do ouvido
um calafrio estremece
meu espírito se debate

quem nasce para louco
nunca se conforma
com a forma trivial, débil, simples
sinais de aparente sanidade

ser normal, igual aos outros
aliviaria toda a dor
mas me deixaria infeliz,
castrado, resignado e frustrado
envergado em falsas verdades
vertendo lágrimas de sonhos perdidos
nunca mais alcançados

a resposta universal para qualquer dor sofrida
se debruça na aceitação do impossível na vida
é somente assim que percebo
seria o amor nosso único placebo?

terça-feira, 1 de setembro de 2009

dose tripla

mágicas reflexões

sinto na garganta um nó
que aperta e sufoca sem dó
inclemente, me prende
apertando, torturando, pressionando
o que limita meu raciocínio
me oprimindo tanto
que me irrito
sem motivo aparente
mas no fundo você sabe a razão
ainda não me acostumei com tanto desamor
não consigo dentro de mim matá-la

não fui capaz de me perdoar
mas preciso deixar pra lá,
mesmo sabendo que faltou em mim uma parte
pedaços despencam às pencas, em cada canto
enquanto o resto mundo explode em dor e pranto

assim meu coração lentamente implode
como um buraco negro de mágoa
que traga toda a sorte de bondade
tenha piedade, é só isso que eu peço
mas é grande a mentira
porque agora sei que o mundo morde

nada disso faz sentido
essa frase anterior
como tudo o que escrevo
aquilo que penso
assim é com os resultados de atos passados
procuro fugir do conflito evitando atrito
mentiras, mentiras e mais mentiras, apenas isso

é, não dá para me entender
você é muito confuso, alguns me dizem
deve ser porque pensa tanto,
seja mais objetivo - outros aconselham
não sei, foi assim que aconteceu,
não pude evitar
a vida me deixou
bem assim
desse jeito
logo depois
que o sonho acabou

pode dizer, foi magia negra, feitiçaria,
ou ilusões estilhaçadas
talvez tenha sido isso ou muito além
nada mais há
muito pouco restou

os conflitos são maiores do que isso
receio não haver receita pronta
minha defesa é a verdadeira vergonha
não vale nada o que aprendi
guardei apenas o que sofri

superar o mal
conquistar a plenitude do espírito
alcançar um ideal
tudo é tão bonito, em tese
é o que diz a minha melhor parte

mas quando devaneio
a consciência se mostra e pronto
desanimar é algo natural
não deve ser o destino final
você sabe, é só o começo da jornada

não duvide, não desista, entenda
cresça de uma vez por todas, elimine a culpa
aprenda sem precisar da dor
marque a vida com uma chama violeta

não se odeie, enfrente sua sombra de frente
descarregue mesmo ao esmo
toda a munição guardada no pente

recarregue o seu coração, vença o medo e a dor
o que te torturava tanto já passou
então chega de reclamar, é hora de mudar
só depende de você
não tanto com o que tá na mão
e sim com aquilo escondido lá no peito
(rodrigo cruz)

Toda a vida é um sonho.
Ninguém sabe o que faz, ninguém sabe o que quer, ninguém sabe o que sabe.

Dormimos a vida, eternas crianças do Destino
(Fernando Pessoa, O Livro do Desassossego, p.50)

ps: boa sexta a todos e que a paz seja o caminho

feliz felix felideo







sonhos de mil gatos
*
sonho porque vivo
penso logo
me engano
escrevo porque
resisto
ou então existo
e não desisto
*
ilusões

são artigos
raros
cadáveres
cada vez mais
escassos
para pessoas iguais
*
a vocês
mas para mim não
simbolizam o alimento
da minha vida
aquilo que mobiliza
toda forma de mudança
*
persigo as minhas
visões oníricas
corro atrás até cansar
de enfrentá-las
*
em frente
frente a frente
esgoto-me no esgoto
de possibilidades
quando estou exaurido
elas se tornam sombra
e me seguem
*
invertem tudo
confundem minha mente
racional e incompleta
mas também aniquilam
toda a arrogância
*
assim percebo
como as coisas são
por inteiro
nada é
tudo ego
nada há
além disso
*
depois de tentar
lutar em vão
contra o inevitável
evito o cansaço total
aceito uma forma
de descanso
e aí sim durmo
*
ou melhor
estico um olAlinhar ao centroho para o tempo
e pisco outro para o eterno
(rodrigo cruz)

"aprenda a viver, descanse quando morrer, tudo o que você precisa está dentro de você"
(gabriel, o pensador)
"me diferencio pela capacidade de raciocínio e pelo polegar opositor"
(inumanos)


"o jardineiro é jesus e as arvres somos nozes!"
(autor desconhecido)


paz
amor
justiça
liberdade

simbolos de libertação (máximas media-malistas)

A) constata-ações

eis que
surpreendo
surgem subitamente
seres sinistros
selvagens simbolos sem silos
duplos deletérios
deveria deitar
dentro
de duas deusas
devassas diáfanas
*
lindas lendas
lânguidas
lindas, lépidas
les linces
loiras lunáticas?

*
sim
sincero sou
sombrio
senhor
sem senso
*
luto longo
lento
largo
literalmente

ladeira longe
*
dentro de deus
do diabo
deuses
dedo
de
dédalo
dupla desgraça
dramática
drinque
dose dupla
de darma



II - reflexão torta

não sou um velho
não sou um velho bêbado
não sou um velho bêbado e pobre
não sou um
velho-bêbado-pobre-arrogante-chato-pra-caralho-falastrão-inconveniente-teimoso
e todo o resto que vocês sabem e sempre souberam de mim
não sou nada disso
sou um nada
simplesmente
sou um
sou



3 -dúvida?!
a resposta para
todas as perguntas da vida
não está escrita
nem o professor saberia
não adianta consultar o google
ninguém sabe o resultado se não arriscar
na vida real não tem reset nem save game

(todos são de minha autoria)


bom final de semana
paz e luz